Teste do Pezinho

Você já ouviu falar em teste do pezinho??

Claro Michelle, eh um que fura o calcanhar do bebê nos primeiros dias de vida, mas para ele serve para que? Não me lembro de terem falado nada de resultado comigo!

Isso mesmo, ele é feito do 3º ao 5º dia de vida do neném. E se o médico não lhe chamou para conversar sobre o teste, é porque o teste do seu filho não apresentou nenhum resultado anormal.

Como assim Michelle!?!?

O teste do pezinho é útil na detecção de doenças que quando diagnosticadas precocemente podem ser tratadas e mudar a história de vida do recém-nascido.

Na maioria dos casos o tratamento acontece através de cuidados específicos, como uma dieta adequada.

Eita! Não entendi não! O alimento adequado ao bebê não é sempre o leite materno??

Na maioria das vezes é, mas nem sempre! Há bebês que por “problemas enzimáticos” não são capazes de metabolizar determinados aminoácidos, e acabam se envenenando com o leite!

Caramba!!! É grave assim?

E como, o bebê nasce saudável, sem nada aparente, mas com o tempo, se não recebem tratamento adequado podem desenvolver cegueira, déficit neurológico com comprometimento das funções motoras, transtornos respiratórios, cardíacos e outros.

Nossa! Então esse teste é muito importante! Mas na minha família não tem nenhum caso, não preciso me preocupar com isso!

Aí que você se engana, este tipo de doença pode ocorrer em qualquer família. Recentemente, conseguimos aumentar o número de doenças detectadas pelo teste do pezinho oferecido pelo SUS, de 6 para 14.

Conseguimos uma vitória, mas a ampliação precisa ser ainda maior, já que existem testes padronizados para detectar até 53 doenças. Esse teste do pezinho mais amplo já é fornecido pela rede particular, mas é nosso direito tê-lo no SUS. Com essa ampliação, melhorará em muito a qualidade de vida das famílias que terão bebês acometidos com estas doenças RARAS.

Ciência RARA

Estive dentro de um grande centro universitário (Universidade Federal de Juiz de Fora) durante 15 anos, lá fiz Graduação, Mestrado e Doutorado em Ciências Biológicas. Neste período, atuei ativamente em projetos de pesquisa envolvendo diversas subáreas da saúde como bioquímica, biologia celular, Imunologia, genética e Biotecnologia. Também tive a oportunidade de dar aulas e senti grande satisfação em poder compartilhar o conhecimento obtido. Com o surgimento de uma doença rara, a Paraparesia espástica hereditária, tive que diminuir meu ritmo e ressignificar minha vida! Dessa maneira, surgiu o Ciência RARA, onde tenho a oportunidade de ajudar as famílias acometidas com doenças raras a entender um pouquinho sobre os termos científicos que invadiram suas vidas!

Deixe uma resposta